ENTENDER O MUNDO/ARTIGOS TEMÁTICOS
K-Pop: o fenômeno teen da Coreia
 
Conheça
 
    ARTIGO      
  Imprimir Enviar Guardar
 
O Korean Pop, mais conhecido como k-pop, é um gênero musical originado na Coréia do Sul em meados da década de 1990. Misto de pop americano com pitadas de hip-hop, música eletrônica e R&B, o k-pop tem na mistura de ritmos a sua principal essência, assim como os elementos visuais exótico nas vestimentas, nas coreografias e nos videoclipes.

HISTÓRIA
A relação do povo coreano com a música estadunidense se inicia no final do século XIX, com a ida de um missionário americano ao país, que traz consigo canções folclóricas americanas e britânicas para lecionar numa escola. Chamadas de “changga”, a melodia musical era ocidental, mas as letras das canções cantadas em coreano. A Coreia do Sul foi ocupada durante 35 anos pelo Japão (1910-1945), domínio formalizado na assinatura do Tratado Japão-Coreia de 1910, assinado apenas pelo lado japonês, período conhecido pelo terror e excesso de uso da força. A changga, nesse período, tornou-se uma bandeira contra a opressão do governo japonês e teve um grande aumento de popularidade entre o povo sul-coreano. No entanto, os japoneses realizaram uma série de confiscos das coleções de changga e impuseram a força seus livros e canções. Outro gênero musical muito popular na Coreia do Sul, iniciado no início do século XX, e que permanece até os dias de hoje, é o trot (nome derivado do rítmo foxtrot). O estilo foi introduzido por um músico japonês e é resultado da mistura da música coreana, japonesa e ocidental.

Na década de 1950, em meio a guerra fria, a Coreia do Sul – apoiada pelo exército americano – sofreu grandes influências da cultura americana, principalmente no quesito música. Blues, jazz e, o até então recém-nascido, rock and roll, foram introduzidos ao povo coreano que passou a se interessar pelos gêneros e criarem bandas autorais. Os principais nomes desta época eram Patti Kim, Kim Sisters, Yoon Bok-hee e Han Myeong-suk. Alguns desses artistas, inclusive, estiveram em turnê em países ocidentais.

Já nos anos 1980, quem dominou as paradas coreanas foram as baladas, ou pop ballads, com suas letras sobre perdas e tristeza, muito comparadas ao clima das composições do blues. Valendo-se da emoção, esse gênero foi responsável por lançar artistas com renome internacional e influenciar os atuais dominantes artistas do k-pop.

Entretanto, o k-pop moderno, tal como conhecemos hoje, é originado a partir da década de 1990 pelo grupo local Seo Taiji and Boys. Com uma mistura de dança, roupas coloridas e hip hop, o “New Kids on the block coreano” fez um grande sucesso, levando o governo coreano a incentivar a cultura como forma de política pública.



A INDÚSTRIA
A formação das superbandas de k-pop está estritamente ligada a treinamentos intensivos, investimento pesado de dinheiro e grandes grupos empresariais com time de experts no mercado da música. Os cantores e cantoras de talento são logo identificados e passam por uma escola de treinamento comportamental, que disciplina a fala e o jeito de se expressar para serem vistos como ídolos de uma geração aficionada pelo estilo. Diferente da indústria norte-americana, que reconhece o talento e a partir daí decide fazer dele uma estrela, no K-pop, se os candidatos são selecionados por uma empresa, ela custeia tudo, até fazer algum tipo de retoque – como melhorar os dentes, a pele ou fazer uma cirurgia plástica.

Após esse “banho de loja”, esses jovens são catapultados à fama por meio de programas de TV, com grande audiência, ou mesmo por veiculação de videoclipes no Youtube. A fórmula é muito parecida com a das boy bands norte-americanas no início da década de 1990. No entanto, muitas vezes essa fórmula tem recebido crítica por parte da mídia e demais canais, visto que os jovens são colocados em situação de extrema pressão, desgaste físico e emocional, sempre em busca do sucesso.

A indústria de ídolos da Coreia tem cerca de 20 anos, ao passo que há também muitas escolas que já fazem coisas semelhantes. Hoje, até as universidades oferecem cursos que ensinam como se tornar um ídolo.


PRINCIPAIS ARTISTAS
Hoje, o k-pop é um gênero conhecido mundialmente, não mais restrito ao continente asiático. Os principais grupos responsáveis por esse fenômeno são:

PSY: Park Jae-Sang, mais conhecido pelo nome artístico PSY, é considerado um dos grandes propulsores da onda coreana no mundo. Cantor, rapper, compositor, ficou mundialmente conhecido pela música “Gangnam Style”.

Big Bang: formado por um quinteto, o grupo criado em 2006 tornou-se mundialmente conhecido pela o EP “Always”, lançado em 2007.

Bangtan Boys (BTS): grupo formado por sete integrantes no ano de 2013 pela Big Hit Entertainment. Detentores de uma série de quebra recordes na indústria da música, o hepteto é responsável pelo maior número de visualizações de uma estreia no Youtube, em 24 horas, com o single “Fake Love”. O BTS estará no Brasil para dois shows no mês de maio de 2019.

Girls Generation: formado por oito garotas, o grupo foi criado pela SM Entertainment e estreou em 2007. Sucesso também no Japão, já atraiu mais de 550 mil espectadores nas suas três turnês pelo país.

Super Junior: formado em 2005 pela agencia SM Entertainment, um dos hits da carreira do SUJU – como é chamado pelos fãs – é “Mr. Simple” (2011).


NÚMEROS
Em 2012, o k-pop chegou de forma avassaladora com a canção “Gangnam Style”, do cantor coreano PSY. A música lançada em julho de 2012 viralizou pela e se tornou o primeiro vídeo no Youtube a conseguir 1 bilhão de visualizações. Desde esse feito, a fama do gênero k-pop foi crescendo na internet, principalmente nas buscas do Google.

Segundo dados do Spotify, o gênero teve um crescimento de 49% pelo mundo e 56% na América Latina entre 2017 e 2018. Os países asiáticos continuam sendo os maiores ouvintes de k-pop, com destaque para Tailândia, Vietnã e Indonésia. Na América Latina, Peru, El Salvador e Nicarágua lideram o ranking. Logo em seguida, no quarto lugar, está o Chile. O Brasil aparece na oitava posição dos países latino-americanos que mais escutam k-pop, segundo o Spotify.

Em relação ao dinheiro gerado, de acordo com o centro de estudos Instituto Hyundai, somente o grupo BTS gera para o país 4,1 trilhões de wons por ano ($ 3,6 bilhões), o equivalente a 26 empresas de médio porte sul-coreanas. Em torno de 800 mil turistas escolheram conhecer a Coreia do Sul por conta da influência do grupo, um total de 7% do total de visitantes ao país.


PARA SABER MAIS, LEIA TAMBÉM